Ads Top

Tempo de amar e de aborrecer


Eclesiastes 3.8
- Introdução: Se amamos uma pessoa, nos aborrecemos quando algo ruim acontece e também entristecemos se fizer algo errado.


1- Tempo Humano de amar e de aborrecer

Quando se fala de amor no mundo, logo se pensa em algo romântico sem problemas, mas nem sempre é assim.
- Amar no tempo humano: o amor humano é falho e passageiro (Oseias 6.4), mas o amor de Deus “jamais acaba” (I Coríntios 13.8).
- Aborrecer no tempo humano: Jesus avisou que “por se multiplicar a iniquidade, o amor
 se esfriará de quase todos”
(Mateus 24.12).
O ser humano só aprende amar com ajuda de Deus, pois “nós amamos porque ele nos amou primeiro” (I João 4.19).

2- Tempo Divino de amar e de aborrecer

O verdadeiro amor vem de Deus, pois “Deus é amor” (I João 4.8).
- Amar no tempo Divino: Com a presença do Senhor, um relacionamento persiste as maiores dificuldades e não acaba, porque seu amor é eterno (Jeremias 31.3).
- Aborrecer no tempo Divino: Jesus ensinou amar em todo tempo (Marcos 12.31), mas se aborrece com quem serve a dois senhores, com um amor dividido (Mateus 6.24).
Nossa fonte inesgotável de amor vem de Deus.

Conclusão

O amor “não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade” (I Coríntios 13.6), por isso acontece o tempo de aborrecer, mas o amor “tudo suporta” (I Coríntios 13.7).

Nenhum comentário:

Faça um comentário, mas só podemos publicar se a pessoa se identificar.

Tecnologia do Blogger.