A oração do barro

“Mas, agora, ó Senhor, tu és nosso Pai: nós o barro, e tu o nosso oleiro; e todos nós obra das tuas mãos”. Isaías 64.8

Introdução: Deus é o nosso Oleiro e nós como barro precisamos reconhecer que:

1- Somos fracos 

Salmo 103.14 “Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó”.

Deus formou o ser humano do pó da terra (Gênesis 2.7). Precisamos colocar a boca no pó e reconhecer nossas fraquezas (Lamentações 3.29). Mesmo assim Deus nos ama e perdoa nossos pecados. Quando estamos em tribulação reconhecemos que somos fracos como o pó.

2- Deus nos restaura 

Jó 10.9 “Peço-te que te lembres de que como barro me formaste, e de que ao pó me farás tornar”.

O tempo todo somos sujeitos a quebrar e precisamos ser restaurados por Deus (Jeremias 18.1-6). Apesar de nossa fraqueza, Deus quer repousar sobre nós a presença de sua glória (2Coríntios 4.7). Deus é o único que pode nos refazer.

3- Somos moldáveis 

Isaías 45.9 “Ai daquele que contende com o seu Criador! o caco, entre outros cacos de barro! Porventura dirá o barro ao que o formou: Que fazes? ou a tua obra: Não tens mãos?”.

O vaso feito de barro não pode exigir o que será feito de si. Devemos estar apenas dispostos nas mãos do Senhor para ser feitos por Ele como lhe for da sua vontade (Romanos 9.21). Precisamos estar disponíveis nas mãos do Senhor.

Conclusão

Entregue a sua vida nas mãos do Oleiro que molda a sua vida.
Rev. Welfany Nolasco Rodrigues

Pastor Metodista. 44 anos. Casado com Ássima, pai de Heitor e Hadassa. Natural de Muriaé MG. Bacharel em Teologia pela UMESP.

Postagem Anterior Próxima Postagem

promoção de livros devocional diário